Centro: CCHLA - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (Natal)
Modalidade: Licenciatura
Vagas: 40

O Curso

O curso de Licenciatura em Teatro, relativamente novo na UFRN, foi implantado em 2006, a partir de um conjunto de ações críticas sobre a formação de profissionais para o Teatro, para atuarem no Rio Grande do Norte e no Nordeste.

Antes do atual curso de Teatro, na UFRN tinha o curso de Educação Artística, e a formação de artistas e professores dessa área ocorria através da Habilitação em Artes Cênicas, nesse antigo curso.

A criação da Licenciatura em Teatro é um avanço dessa área de conhecimento no cenário acadêmico brasileiro, pois com essa reforma conseguimos ofertar uma formação em nível de graduação em teatro, muito mais específica, muito mais prática, muito mais artística.

A reforma feita no Departamento de Artes, na área de Artes Cênicas, foi tão importante que também criamos o curso de Licenciatura em Dança e o primeiro programa de Pós-Graduação (Mestrado) em Artes Cênicas do RN, o segundo do Nordeste.

Anualmente, o curso de Teatro da UFRN oferta 40 vagas para candidatos do vestibular, tem duração de quatro anos e meio e suas aulas ocorrem, com algumas exceções, no turno da manhã.

A sua estrutura curricular prevê um total de 2.880 horas, distribuídas em componentes curriculares (obrigatórios, optativos e eletivos), estágio supervisionado e atividades complementares.

Nessa área, é necessário estudos para o domínio de recursos expressivos como a voz, o corpo, o movimento, a compreensão da cena, do texto, do gesto para desenvolver trabalhos de representação, de interpretação e de composição teatral de diversas maneiras e estilos.

É preciso também que o estudante de Teatro seja capaz de fazer uma ampla leitura da realidade social que o circunda, o que exige dele uma atualização constante, através da leitura de livros, revistas e jornais; de espetáculos de teatro e dança: de filmes cinematográficos, televisivos, midiáticos; do contato aproximado com as novas tecnologias e, sobretudo, com a Internet; além do conhecimento de obras literárias e teatrais; bem como o contato com outros meios de expressão artística: como as artes visuais e a música.

O curso forma professores de teatro para ensinar nas escolas da rede básica, para atuar nos sistemas de formação profissional, para atuarem na condução de processos artísticos (formais e informais). Embora também desenvolve conheciemntos específicos nas práticas teatrais de: atuação, encenação/direção, dramaturgia, cenografia, preparação corporal, entre outras, constitutivas dos fenômenos da cena.

Assim, os discentes desse curso se preparam para o exercício da docência com pleno domínio da linguagem teatral e suas práticas (poéticas e pedagógicas) para atuação no âmbito da sociedade de modo crítico e construtivo.

No percurso de sua formação, os discentes desenvolvem competências e habilidades para realizar atividades ligadas à dramaturgia, à encenação, à atuação, à cenografia, criando e conduzindo processos criativos com embasamento crítico para a montagem de espetáculos teatrais e cênicos.

Ao final do curso, dominando fortemente os meios de aprender e ensinar, os discentes podem realizar a criação e construção textos teatrais, encenações, cenários, figurinos, iluminações, formas de imagem e som, direção artística, criação de papéis, construção de personagens, atuação e crítica teatral.

Para o curso, o Estágio Supervisionado Obrigatório tem duração de 400 horas e pode ser realizado nas escolas da rede básica ou outros espaços afins, sendo esse o momento apropriado para enriquecer a vivência através da troca de experiências com discentes, professores e profissionais que já atuam no mercado de trabalho.

Ao término de sua formação, os discentes do curso de Licenciatura em Teatro da UFRN realizam seu Trabalho de Conclusão de Curso - TCC em das modalidades:

a) uma experiência reflexiva acerca de um tema ou aspecto temático, teórico ou histórico de sua área de conhecimento;

b) uma reflexão crítica sobre uma prática artística em teatro ou um processo de ensino e aprendizagem dessa arte, em ambientes pedagógicos.

Atualmente, o Departamento de Artes da UFRN, principal espaço de desenvolvimento das atividades do Curso de Teatro, vem passando por uma reforma infra-estrutural significativa, em que estamos construindo um novo edifício-equipamento e reformando o atual, que comportará um novo teatro, novas salas de trabalho, novos espaços de convivência, novos equipamentos de criação artística e de ensino.

Atuação Profissional

O profissional habilitado na Licenciatura em Teatro desenvolverá atividades de ensino de teatro (em espaços formais ou informais de ensino), bem como, poderá atuar em várias funções na área de produção de espetáculos e de difusão do entretenimento artístico-cultural (teatro) seja em instituições e empresas (públicas ou privadas).

Base Legal

O curso de Licenciatura em Teatro foi instituido na UFRN através da Resolução Nº 043/2006-CONSEPE, de 02 de maio de 2006. Sua vocação é a formação de professores de teatro.

A profissão de professor, independente da área, é reconhecida socialmente, cabendo à instituição formadora atestar, através de diploma, a capacitação do profissional. Assim, o portador de diploma universitário de Licenciatura em Teatro está habilitado a ensinar, em qualquer espaço de ensino (formal ou informal) o componente Teatro, que se insere na área Arte, conforme a Lei de Diretrizes e Bases (LDB) para a Educação (Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, do Governo Federal do Brasil), em seu Artigo 26, parágrafo 2º, que diz:

Art. 26. Os currículos do ensino fundamental e médio devem ter uma base nacional comum, a ser complementada, em cada sistema de ensino e estabelecimento escolar, por uma parte diversificada, exigida pelas características regionais e locais da sociedade, da cultura, da economia e da clientela.
[...]
§ 2°. O ensino da arte constituirá componente curricular obrigatório, nos diversos níveis da educação básica, de forma a promover o desenvolvimento cultural dos alunos.

Ainda, em seu Artigo 36, Inciso I, a LDB torna obrigatório o ensino de Arte (e do Teatro, entre outras linguagens artísticas) no Ensino Médio, compreendendo-a como "instrumento de comunicação" e componente formador necessário ao exercício da cidadania. Como apresentado, a seguir:

Art. 36. O currículo do ensino médio observará o disposto na Seção I deste Capítulo e as seguintes diretrizes:
I - destacará a educação tecnológica básica, a compreensão do significado da ciência, das letras e das artes; o processo histórico de transformação da sociedade e da cultura; a língua portuguesa como instrumento de comunicação, acesso ao conhecimento e exercício da cidadania;

A profissão de professor, independente da área, é reconhecida socialmente, cabendo à instituição formadora atestar, através de diploma, a capacitação do profissional. Assim, o portador de diploma universitário de Licenciatura em Dança está habilitado a ensinar a dança em qualquer espaço de ensino.

O professor formado em cursos de licenciatura em nível superior tem como referencial legal a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB nº 9.394/1996) para atuação nas escolas públicas da rede municipal, estadual e federal de ensino no âmbito da Educação Básica. Com a publicação dos Parâmetros Curriculares Nacionais, em 1997, a dança passa a ser compreendida como conteúdo da educação básica e não somente uma atividade escolar. Como linguagem artística, o professor de dança passa a ter uma formação específica.

Mercado de Trabalho

Ao concluir o curso, discentes da Licenciatura em Teatro da UFRN poderão exercer prioritariamente a docência desta matéria de conhecimento na educação básica. Além disso, poderão se inserir em outros espaços socioculturais de fomento à formação acadêmica, artística e cultural, atuando como:

 

 

Importância no contexto socioeconômico

O curso de Licenciatura em Teatro busca suprir um vazio de formação para as artes do espetáculo e suas pedagogias, existente no contexto potiguar e brasileiro, pois possibilita, entre outras coisas, que crianças, jovens e adultos desenvolvam a aprendizagem da cena, do corpo, da dramática, dos componentes da representação cênica e seus desdobramentos no espaço público (artístico e escolar), de modo sistemático e espontâneo; dinâmico e prazeroso; crítico e criativo.